artroviscos

 

INTRODUÇÃO

 

A artrose ou mais propriamente, a “ doença da cartilagem “, é uma das doenças mais frequentes na espécie humana .

A “ doença da cartilagem “ afecta uma grande parte da população depois dos 45 anos, embora só em alguns casos, atinja gravidade suficiente para determinar sintomas e conduzir a incapacidade funcional com significado.

Numa articulação normal, os topos dos ossos que a compõem, são revestidos por um tecido duro, elástico e esbranquiçado, designado por cartilagem e que permite o deslizamento suave dos mesmos, actuando como uma almofada, que absorve os efeitos de impacto, durante o movimento.

No inicio desta doença e determinada por vários factores, começa por ocorrer uma deterioração da cartilagem, com perda da sua regularidade e elasticidade e consequente diminuição da sua eficácia, o que progressivamente contribui para a sua degradação adicional, com o uso diário da vida de relação e os traumatismos frequentes.

Na evolução da artrose, para além do envolvimento da cartilagem, há também uma degradação progressiva nos outros tecidos que compõem a articulação, em especial na sinovial, conduzindo à instalação progressiva de dor, derrame articular, deformação e consequente limitação do movimento.

Todas as articulações podem ser atingidas pela artrose. Contudo, as ancas e em particular os joelhos e tornozelos  ( articulações de grande carga e solicitação ) são de longe, as mais penalizadas.

Embora não haja cura para a artrose, pois não existem tratamentos que permitam definitivamente parar ou inverter um processo de “ doença da cartilagem “, é no entanto possível diminuir a dor e a rigidez das articulações, bem como melhorar os movimentos e a capacidade funcional geral do indivíduo.
           
           

TERAPÊUTICA

Actualmente estão disponíveis uma variedade de medicamentos e procedimentos médicos, capazes de aliviar os sintomas e minimizar a perda evolutiva da função articular, na artrose.

De entre os medicamentos, os analgésicos são em muitas situações, suficientes para proporcionar um alivio eficaz no tempo e geralmente são bem tolerados. Os anti-inflamatórios não esteroides, também são adequados e com muita frequência utilizados, embora o seu uso prolongado, acarrete riscos maiores do que os analgésicos, em particular para o aparelho digestivo.

Dos designados procedimentos médicos, as injecções de determinados produtos dentro da articulação, ou em estruturas dolorosas na sua periferia ( infiltrações ), podem revelar-se bastante eficazes.

 

VISCOSUPLEMENTAÇÃO

A administração intra-articular de ácido hialurónico - hialuronano  - exógeno ( sintético ), numa articulação com sinovial e com o intuito de restaurar o normal ambiente reológico da cartilagem e as propriedades viscoelásticas do líquido sinovial, designa-se por Viscosuplementação e é um dos procedimentos médicos, que actualmente e em determinadas fases evolutivas da        “ doença da cartilagem “, proporciona resultados muito favoráveis.  

Na Viscosuplementação, o protocolo terapêutico é sempre adaptado a cada caso em particular e de acordo com, a gravidade da situação, a articulação afectada, a natureza dos sintomas, a idade, a ocupação e o envolvimento do doente com as actividades diárias da vida de relação e de trabalho.

Com protocolos uniformizados para o diagnóstico e para a terapêutica, a Diartro disponibiliza desde 2000, unidades monográficas de Viscosuplementação nos seus centros de trabalho do Porto, Lourosa, Coimbra, Alcobaça e Lisboa.

A reserva para uma avaliação clinica e decisão terapêutica, em qualquer destes centros, pode ser efectuada por telefone - 808 20 28 21 ( só rede fixa ) ou 239 78 02 81, de 2ª a 6ª feira no período das 14 horas ás 18 horas - ou pelo centro de reservas online.

 

 

 

Página alojada e assistida por Alternet - Comunicações Alternativas Lda
Última alteração a 02-03-17
informacoes